Lamentável e falsa', diz Fábio Monteiro sobre declaração de promotora do MP-AM

Kátia Oliveira criticou nas redes sociais a decisão do procurador-geral de se afastar do cargo para concorrer a vaga de desembargador do TJ-AM10/01/2017 às 19:13 - Atualizado em 10/01/2017 às 19:29

Fábio Monteiro disse que o comentário da promotora “não procedem diante dos fatos cronológicos e não traduzem meu pensamento”

Janaína AndradeManaO procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, classificou como “lamentável” e “falsa” a declaração da promotora do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), Kátia Oliveira, que criticou nas redes sociais a decisão do chefe do órgão de se afastar do cargo para concorrer a vaga de desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM).

Na publicação, a promotora afirma que Monteiro não pensou na instituição ao concorrer e ser reeleito chefe do MP-AM, mas mirando em se afastar do cargo para concorrer a vaga de desembargador.

“Tenho a dizer que é lamentável o comentário da colega (Kátia Oliveira), o qual ataca a minha decisão em concorrer a vaga, insinuando que eu já teria conhecimento de que não cumpriria o novo mandato ao qual fui reconduzido pela classe  e, portanto, não teria “pensado na instituição”. Essa afirmação é falsa e atende a interesses políticos do grupo ao qual ela faz parte”, afirmou Fábio.

O chefe do MP-AM, que se afastou do cargo no dia 20 de dezembro para concorrer à vaga, disse ainda que o comentário da promotora “não procedem diante dos fatos cronológicos e não traduzem meu pensamento”.

“Reitero que nossa reeleição foi em setembro de 2016, tomei posse em outubro. A abertura da vaga para o cargo de desembargador no Tribunal de Justiça só foi anunciada no fim de dezembro de 2016”, concluiu.

As inscrições para concorrer a 21° cadeira do Pleno do TJ-AM iniciou na segunda-feira (9) no MP-AM e vai até às 14h desta sexta-feira, 13. Podem concorrer a vaga membros em efetivo exercício da função e que tenham mais de dez anos de carreira.

A eleição no MP-AM será realizada dia 23 de fevereiro de 2017. Pela primeira vez ocorrerá de forma direta. Em seu artigo 10, a resolução detalha que concluída a apuração, será o resultado anunciado, em voz alta, pela Presidência do Conselho Superior do Ministério Público que proclamará, em seguida, os seis mais votados, encaminhando em dois dias úteis seguintes, a lista respectiva ao TJ-AM. Após receber a lista, caberá ao Pleno do TJ-AM realizar nova votação, dessa vez de uma lista tríplice. Caberá ao governador José Melo (Pros) escolher um dos nomes

http://www.acritica.com/channels/cotidiano/news/lamentavel-e-falsa-diz-f...